Miguel - Príncipe Arcanjo da Guerra

Miguel - Príncipe Arcanjo da Guerra

Miguel - E sua Batalha contra o Dragão

Miguel - E sua Batalha contra o Dragão

Miguel - O Arcanjo Guerreiro

Miguel - O Arcanjo Guerreiro

 

A origem Cristã Sionista e as influências satânicas Rothschild

Origem cristã sionista

A tempos buscava fontes que eu sabia que existiam por minhas intuições sobre a influência sionistas nas igrejas evangélicas, e quem procura acha como afirmou Jesus. Agora graças a este artigo raro que encontrei de James Perloff, cristão e de descendência judaica, em conjunto da minha bagagem bíblica e cultural, podemos fazer uma verdadeira sintêse, estudar e matar a charada toda, de como a elite maldita Illuminati tem sido a verdadeira responsável pelo declínio civilizatório ocidental cristão. E sempre nos deparamos com o os capitalistas Rothschilds. Aqueles que não se importam com a vida, com a fé cristã, com uma mundo mais socializavel e sim com a morte, destruições, genocídios, escravizações e outras, sempre em favor de suas ambições.

O artigo é longo, más nele você entende minuciosamente a adulteração sionista na bíblia, seus agentes, intenções e as consequências triste do acolhimento inocente pelos modernos lideres cristãos evangélicos nestas doutrinas recententes, modernas e anti-cristãs.

Segue-se o texto:

Valter J.Amorim (espada de miguel)

Igreja influência dos Rothschild

A origem cristã Sionista dos Rothschilds

Infelizmente, como veremos agora, Fundamentalismo foi-se infiltrando, sequestrando e dominando pela estratégia de Rothschild de financiar ambos os lados da guerra. As igrejas fundamentalistas acabaram sendo moldadas e influênciadas para com o apoio aos interesses da agenda Sionista. Os dois agentes principais neste esquema foram John Nelson Darby (1800-1882) e Cyrus Scofield (1843-1921). O que Darby plantou, Scofield regou e disseminou. A teologia que eles desenvolveram serviu a agenda fazendo várias afirmações:

Deus queria que os judeus retornassem à Palestina e assumissem o controle de lá.

Deus tem dois planos de salvação, uma através do Evangelho de Jesus Cristo, o outro garantida e reservada para os judeus, o seu "povo escolhido".

Os cristãos não devem envolver-se na política, na educação, nos negócios ou nas artes, uma vez que estas são questões "mundanas" que devem ser deixadas nas mãos de pessoas "mundanas". (As conseqüências desta doutrina são muito visíveis na cultura americana hoje.)

Deus lida com a humanidade de forma diferente durante diferentes períodos de tempo históricos ou "dispensações", das quais existem sete. A atual, "Graça" sob Jesus Cristo, é apenas a sexta das sete dispensações.

A Igreja Cristã está condenada a um inevitável fracasso, que trará a Dispensação da Graça a um fim.

O fim desta era dispensacional será marcado pela Tribulação, perseguição mundial sob direção do Anticristo por um período de sete anos; No entanto, os cristãos não precisam se preocupar com isso, uma vez que Jesus vai "arrebatá-los" para fora da Terra e não passarão pelas dores cataclísmicas.

A Terra então experimentará uma era judaica; Os sacrifícios de animais ritualistas judaicos serão reinstituídos; Jesus reinará por mil anos do templo de Salomão reconstruído em Jerusalém.

Essas doutrinas, cujo resultado principal era "sionismo cristão", podem parecer aborrecidas para os ateus e agnósticos, mas são, no entanto, extremamente relevantes para o estado e mundo sionista. Elas são defendidas por teólogos de status e celebridade como Hal Lindsey, Pat Robertson e John Hagee, este último autor do livro e série “Deixados para Trás, e são visões predominantes em muitas igrejas evangélicas conservadoras. Sem essas idéias amplamente disseminadas, não haveria nenhum Estado israelense criado em 1948, nem o 11 de setembro, e nem as guerras modernas no Oriente Médio.

Cristãos dispensionalistas sionistas

O contexto

O objetivo final dos Illuminati é um governo mundial. Blocos regionais como a União Européia e o NAFTA (destinados a se tornar uma União Norte-Americana) são passos para esse fim. O governo mundial será governado por uma figura escura que a Bíblia chama a "besta" ou "Anticristo". O livro de Apocalipse diz que ele vai ter "autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação". A capital do mundo do mal governo será Jerusalém, uma cidade reverenciada por cristãos, muçulmanos e judeus, a ser centrada na Grande Israel. Foi para este fim que:

os Rothschilds comprometeram sua fortuna para o movimento sionista, começando o mais tardar em 1829 ;

Theodor Herzl começou a sediar os congressos sionistas mundiais em Basileia, Suíça, em 1897;

o governo britânico foi persuadido a emitir a Declaração de Balfour á Lord Walter Rothschild em 1917, prometendo o estabelecimento dos sionistas "na Palestina e de uma lar nacional para o povo judeu" em troca dos sionistas convencerem a América entrar na Primeira Guerra Mundial do lado da Grã-Bretanha.

No entanto, a apreensão sionista da Palestina não poderia ter ocorrido sem o consentimento e a cooperação das comunidades cristãs do mundo. Dado o conflito de séculos entre judeus e cristãos, era necessário remodelar a teologia cristã para acomodar o plano de Rothschild. Cyrus Scofield e sua Bíblia de referências entraram em cena para este propósito expresso.

Darby planta as sementes

Antes de examinar a vida de Scofield, devemos notar um pouco sobre John Nelson Darby, a figura principal de quem Scofield emprestou sua análise bíblica. Darby era um satanista, Maçonaria e agente da Companhia Leste das Índias Rothschild de propriedade britânica, (1) sendo esta última a mais poderosa corporação multinacional de seu tempo e o fornecedora que transformou milhões de chineses em viciados de ópio.

Darby tornou-se um líder de uma seita cristã chamada Plymouth Brethren (nomeada para Plymouth, Inglaterra, onde suas reuniões mais populares foram realizadas). Ele geralmente é creditado com o criador da doutrina "Arrebatamento Secreto" e fez várias viagens à América para espalhar suas idéias.

biblia cristã adulterada por Darby

Darby usou muitos termos em comum com ocultas theosofistas, ele referiu a Jesus como "o um que vem" (mesmo termo Nova Era usado para o Anticristo); referia a Deus como o "arquiteto" (mesma frase empregada pelos maçons, que significa "Deus" para os não-iniciados, "Lúcifer" para os verdadeiros adeptos); e muitas outras frases ocultas, conforme resumido neste artigo.

Darby até escreveu sua própria versão satânica da Bíblia. Os Illuminati sempre souberam que não poderiam realizar uma transformação grosseira na Bíblia, porque ela seria reconhecida como tal e rejeitada. Portanto, a abordagem através dos séculos tem sido talha-la: uma palavra aqui, uma frase ali.

Darby introduziu maliciosamente o texto satânico no texto bíblico. Por exemplo, na interpretação do rei Tiago de (João 6:69), onde Pedro disse a Jesus: "E cremos e temos certeza de que tu és Cristo, o Filho do Deus vivo". Darby disse: "E cremos e conhecemos que tu és o Santo de Deus." "Santo de Deus" é um título usado para Jesus apenas por demônios na Rei James. Para uma revisão abrangente de erros de tradução satânicas de Darby, consulte o artigo John Nelson Darby Versão: mudanças doutrinárias para a Bíblia Sagrada.

Scofield Spreads Darby Como um Virus

Em 1897, Theodore Herzl começou a sediar os congressos sionistas apoiados pela Rothschild na Suíça, desenvolvendo o plano para a tomada de poder sionista da Palestina. Sabendo que esse esquema exigiria a aprovação cristã, em 1904 Herzl aproximou-se do papa Pio X, que muito gentilmente lhe disse o que poderia fazer com seu plano.

Após a rejeição católica, os Rothschilds sabiam que o apoio protestante seria essencial. Mas isso só poderia ser alcançado através da adulteração da Bíblia para fazer parecer que o próprio Deus ordenara que os judeus retomassem a Palestina. Tal Bíblia teria que vir de um não-judeu, alguém com credenciais teólogicas. Assim surgiu Cyrus Scofield e sua Bíblia de referência.

Adulterador biblia scofield

Scofield começou como um advogado e político torto do Kansas, trabalhando sob os auspícios de John J. Ingalls, uma figura importante na política corrupta do Kansas. Em 1881, o Atchison Globe relatou:

CI Schofield, que foi nomeado procurador do Distrito dos Estados Unidos para o Kansas em 1873, e se mostrou pior do que qualquer outro funcionário do Kansas, agora é um pregador campbellita no Missouri. Sua esposa e dois filhos vivem em Atchison. Ele não contribui em nada finaceiramente, exceto bons conselhos. (2)

Nesse mesmo ano, o Daily Capital Topeka relatou a história:

Cyrus I. Schofield, anteriormente de Kansas, advogado tardio, político e shyster em geral, voltou à superfície e promete mais uma vez reunir em torno de si aquele halo de notoriedade que o tornou tão proeminente no passado. O último conhecimento pessoal que Kansans teve deste peer entre scalawags, foi quando cerca de quatro anos atrás, depois de uma série de falsificações e jogos de confiança que ele deixou o Estado e uma família destituída e se refugiou no Canadá. Durante algum tempo ele manteve-se disfarçado e nada se ouviu falar dele até que, nos últimos dois anos, ele apareceu em St. Louis, onde tinha uma rica irmã viúva viva, que geralmente chegou à frente e esquadrinhou as pequenas loucuras de Cyrus com pequenas quantias de dinheiro. No ano passado, no entanto, Cyrus cometeu uma série de falsificações em St. Louis que não puderam ser resolvidas tão facilmente, e o jovem errático cavalheiro foi obrigado a ficar na prisão de St. Louis por um período de seis meses. (3)

No entanto, os processos judiciais contra Scofield foram inexplicavelmente abandonados. Como Joseph M. Canfield, que é provavelmente o biógrafo mais completo de Scofield, observa: "A queda repentina das acusações criminais sem uma adjudicação apropriada sugere que a carreira de Scofield estava nas mãos de alguém que tinha influência. . .(4)

livro incrível scofield

De acordo com Scofield, sua conversão a Cristo ocorreu em 1879 em seu "escritório de advocacia em St. Louis” No entanto, ele não era um membro do bar do Missouri, e não existe registro de seu trabalho como advogado praticado nesse estado (5).

Scofield começou a imergir-se nos ensinamentos de Darby. Ele foi orientado por Rev. James H. Brookes, cujo púlpito Darby tinha pregado muito. (6) Ele fez progressos eclesiástica rápido: em 1881 ele já era um pastor em St. Louis, apesar de não ter formação no seminário ou outra educação religiosa formal.

Em 1882, Scofield mudou-se para Dallas e começou um mandato prolongado como pastor da Primeira Igreja Congregacional. Possivelmente este movimento era necessário porque seu passado criminal e de irresponsibilidade familiar eram demasiadamente famosos na região de Kansas-Missouri. Como o Rev. John S. Torell escreve:

Havia uma série de poderosos e poderosos intermediários políticos nos membros da Primeira Igreja Congregacional em Dallas. . . Eu sei que a maioria das igrejas nos Estados Unidos estão fortemente infestadas com maçons. George Bannerman Dealey era um membro da igreja presbiteriana de Westminster na parte mais atrasada de sua vida. Mas ele também estava fortemente envolvido no ocultismo, majoring no Rito Escocês de Maçonaria com um grau 33 e ativo como um Shriner, e também foi membro da Cruz Vermelha de Constantino. Provavelmente ele foi a mão em admitir Cyrus em círculos maçônicos e particularmente o no Lotos Club em Nova York. (7)

Questões pós-conversão

Estou bem ciente de que uma pessoa redimida por Cristo recebe o perdão dos pecados. Estou também ciente de que aqueles nascidos de novo permanecem indivíduos falhos. No entanto, um alto padrão é mantido para pastores e anciãos de igrejas. Em 1883, de volta ao Kansas, Leontine, esposa do Reverendo Scofield, pediu o divórcio alegando que há muito o abandonara e suas duas filhas, Abigail e Helene. O tribunal decidiu que Scofield "não era uma pessoa apta a ter a custódia dos filhos." (8) Dentro de seis meses do divórcio, Scofield se casou com uma nova esposa, Hettie.

Eis o que a Bíblia diz (1 Timóteo 5: 8): "Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente os da sua própria casa, negou a fé e é pior do que um infiel". Esta é uma passagem livre sobre este ensinamento, e não surpreendentemente, a Bíblia de Referência Scofield não faz nenhum comentário sobre este versículo.

Os defensores de Scofield argumentaram que ele teve que se divorciar de sua esposa porque ela era católica, mas não há bases bíblicas para isso, e Scofield tinha abandonado sua família muito antes de sua professada conversão a Cristo. No entanto, se os manipuladores estavam preparando-o para cumprir o papel de mensageiro sionista para as igrejas protestantes, pode muito bem ser que ter uma esposa católica era considerada inadequada.

Embora Scofield se tornou bastante rico de sua referência de Bíblia, não há nenhuma evidência de que ele nunca compartilhou suas riquezas com sua família abandonada, ou nunca fez restituição para as pessoas que ele tinha defraudado em Kansas e Missouri.

Talvez mais notoriamente, em 1892 Cyrus começou a usar o título "Dr. Scofield". Na Bíblia de Referência Scofield, ele é conhecido como "Rev. CI Scofield, DD" (Doutor em Divindade).Transpor este livro histórico como um trabalho de erudito era, naturalmente, vital. No entanto, não há evidências de que Scofield tenha feito um doutorado. Ele nunca freqüentou uma faculdade ou seminário. Alguns sugerem que ele poderia ter recebido um doutorado honorário, mas mesmo isso parece improvável: nenhuma instituição já reivindicou o crédito para essa concessão, Scofield não fez nenhuma alusão da origem de seu grau de instrução em sua biografia “Quem é Quem”, e como o “Dispensacionalismo” ainda era visto como altamente não ortodoxo em 1892, nenhuma instituição cristã provavelmente teria concedido tal grau honorário em Scofield.

Scofield adquire conexões e apoios

Scofield conheceu o distinto teólogo DL Moody durante uma das campanhas evangélicas deste último. Em 1886, Moody falou em Dallas á convite de Scofield. Uma associação frouxa continuou entre eles, e em 1896 Scofield moveu-se para Nova Inglaterra, tornando-se o pastor da congregação Trinitariana, igreja lar de Moody. Não está claro se isso ocorreu a pedido de Moody, mas a associação com Moody deu Scofield outra credencial que avançou seu currículo de teólogo. Em dezembro de 1899, Moody morreu aos 62 anos de uma doença não diagnosticada.

Em 1901, Scofield tornou-se membro exclusivo do Nova Yorkinos, Lotos Club, um ponto de encontro para a elite financeira e literária. Membros incluíram Mark Twain, New York Times proprietário Arthur Sulzberger Hay, o industrial ateu Andrew Carnegie, e a defensora da revolução sexual Margaret Mead. O Lotos Club era o tipo de lugar que um pregador fundamentalista normalmente seria ridicularizado, mas de alguma forma Scofield juntou-se aos seus rolos, embora a taxa de sócio igualasse um quinto do seu salário como pastor. (11) Ele permaneceu um membro até sua morte em 1921.

A admissão no Clube Lotos por Scofield foi aprovada pelo advogado ultra-sionista do Clube de Comitê Literário, Samuel Untermyer. Durante sua vida, Untermyer serviu como presidente do Keren Hayesod (anjo financeiro principal do sionismo), desempenhou um papel importante na elaboração da “Ata da Reserva Federal”, era notório por chantagear Woodrow Wilson em que nomeiou Louis Brandeis para o Supremo Tribunal, e liderou a declaração judaica " da guerra "boicote contra a Alemanha em 1933. Esta claro que alguém que poderia ser chamado de o líder americano sionista, patrocinar, no Lotos Club, o teólogo que produziria o livro que deu origem ao "sionismo cristão"?

cristão sionista untermyer

Samuel Untermyer

De acordo com algumas fontes (por exemplo, este artigo), Untermyer introduzido Scofield a outros financiadores sionistas principais, tais como Jacob Schiff e Bernard Baruch. Isto é credível, uma vez que Untermyer estava perto desses indivíduos, e as finanças de Scofield ascessionaram, de repente ele pôde pagar longas viagens à Europa na busca de produzir sua Bíblia de referência.

Scofield e sua esposa Hettie viajaram para a Inglaterra em 1904. De acordo com a biografia oficial de Scofield, Charles Trumbull disse a um conhecido em Londres, Robert Scott, que planejava escrever uma Bíblia de referência, mas não tinha idéia de quem poderia publicá-la. Por sorte, Scott pôde apresentá-lo a Henry Frowde, diretor da Oxford University Press. Trumbull cita:

O Sr. Frowde estava interessado. Ele disse que consultaria o Sr. Armstrong, então chefe do ramo americano da Oxford University Press. Armstrong ficou imediatamente entusiasmado com a sugestão de que esta nova Bíblia de Referência fosse trazida pela Oxford Press, e um entendimento preliminar foi rapidamente alcançado. Mr. Frowde assegurou ao Dr. Scofield que, se finalmente decidi-se fazer a Bíblia com eles, eles poderiam prontamente arranjar um contrato adequado para a publicação, no interesse de cada parte. E assim a questão da publicação foi resolvida. . . . (12)

Esta história é tão absurda quanto a admissão do Scofield's no Lotos Club. As grandes editoras não garantem a publicação de manuscritos que ainda não viram, a menos que o autor tenha um histórico comprovado de best-sellers (por exemplo, um Stephen King). Scofield nunca tinha escrito um livro antes, com a exceção de que maneja bem a palavra (que foi realmente auto-descrito como um "panfleto"). Ele não tinha formação académica qualificando-o para editar uma Bíblia de referência.

Além disso, a Oxford University Press era propriedade de judeus sionistas e dirigida por socialistas fabianos. Foi essencialmente dedicada à publicação de livros literários e acadêmicos, não Bíblias, e como o Lotos Club, foi um local normalmente hostil à fundamentalistas evangélicos.

É bastante evidente que as conexões sionistas de Scofield, que o levaram ao Lotos Club e forneceram fundos de viagem, também organizaram o acordo de publicação de Oxford. É só uma coincidência que a viagem de Scofield à Inglaterra tenha ocorrido na sequência da rejeição do Papa (26 de janeiro de 1904) do apelo de Herzl a apoiar um estado sionista na Palestina? Com os católicos, os protestantes se tornaram imperativos. A Oxford University Press, com escritórios nos dois lados do Atlântico, poderia garantir que o trabalho de Scofield receberia a publicidade e a distribuição que os sionistas desejavam.

Quando os Scofields saíram da Inglaterra, mudaram-se para a Suíça, onde, de acordo com Trumbull, Scofield fez nove meses de "trabalho sólido" em sua Bíblia de referência. Mas por que Suíça? Embora a biblioteca de João Calvino estivesse lá, não era um lugar muito lógico para pesquisar e escrever uma Bíblia de referência. Era, no entanto, um centro de atividades maçônicas e bancárias encobertas e, talvez o mais importante, onde Theodor Herzl hospedou os primeiros congressos sionistas.

Scofield voltou para a América em 1905. Em 1906 voltou para a Inglaterra (e de acordo com algumas fontes, a Suíça novamente). Em 1907, Scofield assinou seu contrato de publicação no escritório de New York City da imprensa da universidade de Oxford, e sua Bíblia de referência foi publicada primeiramente em janeiro 1909.

Observa-se imediatamente que o volume foi produzido com uma velocidade surpreendente. Para a maioria dos homens, uma Bíblia de referência teria exigido um trabalho de vida. Ainda mais notável é: Scofield não tinha nenhum seminário ou formação universitária, e não era formado formalmente nas línguas que os antigos textos bíblicos são escritos em grego, hebraico e aramaico.

A Estratégia da Bíblia Scofield

Eram, então, algumas notas de Scofield ditadas a ele por outras partes? Mesmo se não, a revisão da Bíblia torna evidente que Scofield emprestou pesadamente de John Nelson Darby, James Brookes e outros primeiros defensores da teologia da Plymouth Brethren-Dispensational. Scofield, sem dúvida, preferiu usar a versão da Bíblia satânica de Darby ou a Hort-Westcott de modernizadas traduções. Mas como os sionistas queriam alcançar a maior parte dos fundamentalistas, a rei James foi empregada. Como observa James Whisler:

Cyrus queria usar a bíblia de seus heróis, Westcott e Hort, para este projeto. No entanto, ele sabia que devido à proeminência da KJV e os magros resultados das vendas da Versão Revisada, que seus ensinamentos dispensacionalistas nunca chegariam a lugar algum se acoplados com o RV. Então, ele usou a KJV, mas ele sutilmente mostrou seu desprezo por ela e Sua reverência pela Versão Revisada. Foi assim que ele fez. Em todos os lugares em que o rei James discordava da versão revista em uma área de importância doutrinária, Cyrus inseriu uma nota de rodapé afirmando que o KJV estava incorreto e ele sempre ofereceu uma "mais correta" prestação que era quase sempre idêntico ao RV.” (13)

Embora sua Bíblia de referência tenha sido publicada pela primeira vez em 1909, essa edição é praticamente impossível de encontrar hoje. Foi a edição revisada de 1917 que foi hiper-comercializada, com publicidade ilimitada, pela Oxford University Press, vendendo milhões de cópias. Será apenas coincidência que 1917 foi também o ano da Declaração Balfour, pelo qual o governo da Grã-Bretanha comprometeu-se a Senhor Walter Rothschild e a Federação Sionista a estabelecer um "lar nacional" para os judeus na Palestina? O marketing simultâneo em massa da Bíblia de Scofield faria parecer que o próprio Deus havia assinado a Declaração e "a profecia estava sendo cumprida" diante dos olhos dos crentes.

Por que o trabalho de Scofield foi tão eficaz para mudar o entendimento das pessoas sobre a Bíblia? Antes disso, a maioria dos comentários foram publicados separadamente das próprias Escrituras. Antigos expositores haviam considerado a Bíblia como a sagrada Palavra de Deus, e que seu texto não deveria ser adulterado por suas indignas palavras humanas. Scofield desprezou essa tradição, colocando seus comentários diretamente nas páginas da Bíblia. Enquanto isso era feito sob o pretexto da conveniência do leitor, seu impacto subliminar era dar ao status de visão de Scofield competindo com as Escrituras. Quando um leitor lembrava um versículo específico da Bíblia, ele estava apto a lembrar as palavras de Scofield junto com ela, ou mesmo em seu lugar.

Alguns não foram enganados. Como Philip Mauro comentou em 1927:

É uma questão de tristeza para mim que um livro deve existir em que as palavras corruptas do homem mortal são impressas na mesma página com as santas Palavras do Deus vivo; Esta mistura do precioso e do vil sendo feito um artigo de venda, intitulado uma "Bíblia", e distinguido pelo nome de um homem. . . . Pois o fato é que o dispensacionalismo é modernismo. É o modernismo, além disso, de um tipo muito pernicioso, de modo que deve ter uma "Bíblia" própria para a propagação de suas doutrinas peculiares, já que elas não estão na Palavra de Deus.” (14)

Com o marketing intenso de Oxford, as pessoas que simplesmente queriam uma Bíblia muitas vezes se achavam seguras com uma Bíblia Scofield e, assim, tornaram-se recipientes involuntários do "Scofieldism". Para ajudar a garantir que a Bíblia fosse bem vendida, Oxford a produziu em belas e impressas edições de pano e couro. Para os desavisados, isso parecia "honrando a Deus".

Como Scofield torceu a Bíblia para acomodar o sionismo

Sei que alguns argumentarão que as notas de Scofield incluem muitas observações teologicamente sólidas. Claro que sim, porque as mentiras são muito mais eficazes quando misturadas com verdades. A Bíblia nos adverte que "Um pequeno fermento opera através de todo o lote de massa" (Gálatas 5: 9) e "Cuidado com o fermento dos fariseus e saduceus!" (Mateus 16: 6). A principal missão de Scofield era harmonizar sua Bíblia com o sionismo. Central para isso estava distorcendo as promessas que Deus havia feito a Abraão (o antepassado dos antigos hebreus e árabes) em (Gênesis 12: 1-3):

E disse o SENHOR a Abrão: Saca-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei; e farei de ti uma grande nação, e te abençoarei , E tornar o teu nome grande; E tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar, e em ti serão benditas todas as famílias da terra.

Embora a palavra "te" é singular no hebraico, (15) Scofield fez uma puxada, tornondo-a em plural, e aplicado a bênção para os judeus modernos. Ele escreveu em suas notas:

"E amaldiçoa aquele que te amaldiçoa." Cumprido maravilhosamente na história da dispersão. Invariavelmente, ele ficou mal com as pessoas que perseguiram os judeus - bem com aqueles que o protegeram. O futuro ainda mais notavelmente provará este princípio. (16)

A Bíblia de Referência Scofield foi com direitos de autor pela Oxford University Press, não de Scofield. Isso deu à editora licença para mudar suas palavras em impressões posteriores. Oxford publicou uma edição revisada em 1967 (coincidindo com a Guerra dos Seis Dias e a tomada de Jerusalém por Israel). Essa versão colocou o Sionismo de Scofield em esteróides, acrescentando, por exemplo, esta frase às palavras acima: "Para uma nação cometer o pecado do anti-semitismo traz juízo inevitável." A Bíblia, é clara, nunca se refere ao "pecado de Anti-semitismo".

Em (Gênesis 15:18), Deus descreveu a terra que Ele estava dando a Abraão e a sua descendência:

No mesmo dia, o Senhor fez uma aliança com Abrão, dizendo: A tua descendência tenho dado esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio, o rio Eufrates.

Nos congressos sionistas de Herzl, foram feitos planos para reivindicar toda a terra desde o Nilo até o Eufrates.

mapa bíblico grande israel

Isso demarca "Grande Israel"; Os rios Eufrates e Nilo são as duas faixas azuis exibidas na bandeira israelense. Eles encerram uma estrela tradicionalmente usada no satanismo, com seis pontos, seis triângulos e um hexágono (seis lados) no meio-666.

bandeira sionista

Para convencer os cristãos de que os sionistas continuavam tendo direito a esta terra, Scofield fez a promessa de Deus "incondicional". Ele escreveu:

Para Abraão e seus descendentes é evidente que a Aliança Abraâmica fez uma grande mudança. Eles se tornaram distintamente herdeiros da promessa. Essa aliança é inteiramente graciosa e incondicional. Os descendentes de Abraão tiveram que permanecer em sua própria terra para herdar todas as bênçãos.” (17)

Mas, como qualquer estudante da Bíblia sabe, ou deveria saber, que –as promessas de Deus para os hebreus eram sempre condicionada à sua fé. Quando Moisés trouxe os hebreus para fora do Egito, Deus nem sequer lhes permite entrar na terra devido à falta de fé. Em vez disso, foram obrigados a vagar primeiro pelo deserto por quarenta anos. Você acha que os "israelitas" de hoje são mais fiéis a Deus do que aqueles dos dias de Moisés?

judeus colonos atacam palestinos

Quem crê que as promessas de Deus a Israel eram "incondicionais" deve ler (Deuteronômio 28), que claramente enumera bênçãos para a obediência, contrabalançadas por maldições por desobediência. O que João Batista pensou sobre as reivindicações da herança "incondicional"? Ele disse aos fariseus: "E não pensem que podem dizer a si mesmos: 'Temos Abraão como nosso pai'. Digo-vos que destas pedras Deus pode suscitar filhos para Abraão."(Mateus 3: 9). Jesus disse: "Portanto, digo-vos: O reino de Deus será tirado de vós, e dado a uma nação que produz os seus frutos." (Mateus 21:43)

Scofield também fez com que pareça que a Bíblia profetizou um futuro retorno dos judeus para a Palestina, a fim de dar a Declaração de Balfour, a eventual condição de Estado de Israel, a ilusão de suas notas proclamando "profecias cumpridas.":

O dom da terra é modificado por profecias de três desapropriações e restaurações. . . . Foram realizados dois despojos e restaurações. Israel está agora na terceira dispersão, a partir da qual ela será restaurada no retorno do Senhor como rei sob a Aliança Davídica.” (18)

A reivindicação de Scofield de três restaurações é unscriptural. A Bíblia profetiza apenas duas restaurações: a jornada original dos hebreus do Egito para a Terra Prometida sob Moisés; E o retorno do exílio em Babilônia descrito nos livros de Esdras e Neemias. Para apoiar sua afirmação, Scofield usou versos referentes ao retorno de Esdras-Neemias, ou para a vinda de Cristo, mas em nenhum lugar a Bíblia prevê um terceiro retorno dos judeus para a Palestina.

Uma regra fundamental do Dispensationalismo de Scofield: reivindica que se alguma profecia bíblica não foi cumprida no passado, espera ainda a realização futura. Scofield escreveu: "É importante ver que a nação ainda não tomou a terra sob a Aliança Abraâmica incondicional, nem jamais possuiu a terra inteira." A promessa de Deus de dar a semente de Abraão a terra do Nilo para o Eufrates. " (19)

- Importante, Scofield? Importante para quem? Somente para seus senhores sionistas. Embora seja afirmado que as conquistas descritas no livro de Josué não deu os hebreus toda a terra, e, assim, deixou a promessa de Deus a Abraão "insatisfeito" até o futuro, uma leitura atenta da Bíblia refuta isso. (Josué 21: 43-45) declara:

E o Senhor deu a Israel toda a terra que jurou dar a seus pais; E eles o possuíram, e habitaram nela. E o Senhor deu-lhes repouso ao redor, conforme tudo quanto jurou a seus pais; e não havia um homem de todos os seus inimigos diante deles; O Senhor entregou todos os seus inimigos nas suas mãos. Não falhou nenhuma coisa boa que o Senhor tivesse dito à casa de Israel; Tudo aconteceu.

(Reis 4:21) testifica que os israelitas governaram toda a área que Herzl imaginava como "Grande Israel":

E Salomão governou sobre todos os reinos desde o rio Eufrates até a terra dos filisteus, até a fronteira do Egito. Esses países trouxeram tributo e foram os súditos de Salomão toda a sua vida.

Assim, a própria Bíblia refuta a afirmação de Scofield de que a promessa nunca foi cumprida, supostamente justificando a conquista sionista moderna da Palestina.

Legado de Scofield: o dano que foi feito

A Bíblia de Scofield nasceu "Sionismo Cristão", e com ele, incalculáveis ​​tristezas ao longo do século passado:

limpeza étnica da Palestina. Em 1948 Nakba, os sionistas expulsaram mais de 750.000 palestinos de suas casas com armas. Citando:

As forças sionistas cometeram 33 massacres e destruíram 531 cidades palestinas. O autor Norman Finkelstein afirma: "De acordo com o ex-diretor dos arquivos do exército israelense," em quase todas as aldeias ocupadas por nós durante a Guerra ... foram cometidos atos que são definidos como crimes de guerra, como assassinatos, massacres e estupros '... Uri Milstein, o historiador militar israelense autorizada da guerra de 1948, vai um passo além, afirmando que "cada escaramuça terminou em um massacre de árabes'." (20)

 massacre sionista Deir Yassin
Vítimas do massacre de Deir Yassin em 1948

A limpeza étnica dos palestinos continuou até hoje.

Perda territórios palestinos de 1946 á 2010

Colonos israelenses abusam de um palestino

Para aqueles cristãos que pensam que o livro de Josué de alguma forma ainda justifica isto, gostaria de salientar que os cananeus, aos quais Josué e os hebreus lutaram contra eram gigantes; Satanicamente seres transhumanizados e adoradores de Satanás. (Veja meu artigo " Making Sense do Supernatural "). Palestinos de hoje não se igualam aos antigos cananeus, e ao contrário do que "cristãos sionistas" tipicamente acreditam, muitos palestinos são cristãos.

Israel destrói uma cidade de Gaza, 2014:

assassinatos crianças gaza

Os sionistas cristãos aderiram ao mito de que Israel está apenas "defendendo seu direito de existir" e que os palestinos são "terroristas". Os israelenses têm mais de 4.000 tanques e mais de 400 aeronaves de combate, graças a um fluxo constante de cerca de US $ 3 bilhões anuais Contribuintes. Os palestinos desarmados não têm um tanque ou avião; Eles lutam contra seus ocupantes ilegais principalmente com pedras.

crianças palestinas contra tanques

George W. Bush invadiu o Iraque em 2003 com o pretexto de que estava evitando as inspeções da ONU pela busca de armas de destruição em massa (que, afinal, nem sequer existiam). Israel, por outro lado, tem centenas de armas nucleares que se recusa a deixar a ONU inspecionar; Estados Unidos concede-lhe um passe livre, e foi mesmo dado a Israel a bomba de hidrogênio.

• Terrorismo de Falso-bandeira e Guerra para o Resto do Mundo. Contrariamente à rotação dos meios sionistas, Israel foi o principal patrocinador do terrorismo do mundo, implementado "por meio do engano" - o lema do Mossad, o serviço de inteligência de Israel. Isso inclui, por exemplo, 1946 King David Hotel bombardeio, 1954 Lavon affair, 1967 vicioso ataque ao USS Liberty, de 1986 " engano de Tróia" que levou Reagan a bombardear a Líbia (desloque-se um pouco, se clicar em link), e, claro, a mãe de todos eles, 9/11, coberto com impressões digitais sionistas e israelenses. 9/11 levou aos inúmeros e desnecessárias guerras no Médio Oriente que foram já conhecido de antemão, em 2001. Essas guerras, por sua vez, produziram a crise dos refugiados que assola a Europa hoje.

cristãos palestinos

Por que tantos cristãos compram o absurdo

Além de distorção da aliança abraâmica de Scofield para significar uma promessa imobiliárias "incondicional" para os judeus, e sua invenção de um terceiro regresso profetizado á seu lares, pelas seguintes razões destacam-se:

• O "povo escolhido" mito. De acordo com as preferências sionistas, Scofield ignorou a clara explicação do Novo Testamento: "Não há judeu nem grego, não há vínculo nem livre, não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. E se você pertence a Cristo, então você é descendência de Abraão, e herdeiros de acordo com a promessa. "(Gálatas 3: 28-29). Scofield, em vez revertido a promessa de um contexto do Velho Testamento, um mal interpretado em que.

Além disso, sabemos agora que a maioria das pessoas se identificam como judeus são provavelmente (como Finley mencionado acima) não descendentes de Abraão, mas dos khazares , um povo turco que fizeram o judaísmo seu estado religião no século VIII dC. Autor judeu Arthur Koestler foi pioneira evidência histórica para isso em seu livro de 1976 The Thirteenth Tribe , pesquisa desde confirmado por provas de DNA . O significado? Se a maioria dos ocupantes "judeu" da Palestina não são descendentes de Abraão, então eles não são a sua semente, e, portanto, não têm direito à terra, mesmo nos termos da teologia distorcida do Scofield.

• O "judaico-cristã" mito. A maioria dos cristãos evangélicos abrigam a ilusão de que os judeus religiosos de hoje são adeptos do Antigo Testamento. Eles acreditam que eles como cristãos vivem em harmonia "judeu-cristã" com judeus que compartilham os mesmos valores essenciais.

Claro, não se pode estereotipar os judeus, muitos dos quais (como o meu falecido pai) não são religiosos, não têm interesse no sionismo, e assimilar em outras culturas. No entanto, quando se refere ao judaísmo organizado, é importante entender que os judeus religiosos seguir o Talmud, que rabinos consideram sênior do Tanakh (Antigo Testamento da Bíblia cristã). Jesus consistentemente dirigiu suas mais severas censuras contra os fariseus, os mestres da lei oral, que usaram para anular as leis de Deus. Depois que os romanos destruíram Jerusalém em 70 dC, judeus dispersos continuaram ensinando a lei oral, eventualmente escrito como Talmud. Ao longo dos séculos evoluiu, tornando-se muitas vezes mais mal do que nos dias de Jesus.

O Talmud decreta que:

-Jesus está no inferno, sendo fervido em fezes; (Gittin 57a. 22)
- A mãe de Jesus, Maria, era uma prostituta; Talmude Babilônico ((BT), Sinédrio 106a.23)
- Os gentios são burros; (BT Berakoth 58a. 24)
- Todas as crianças gentias são animais; (98a Yebamoth. 25)
- Se um gentio bate um judeu, o gentile deve ser matado; (BT Sanhedrin 58b. 26)
- Gentiles Que estudam a Lei merecem a morte; (BT Sanhedrin 59a. 27)
- Um judeu pode mentir para um gentio; (Tractato Baba Kamma 113a. 28)
- Um judeu não precisa pagar um salário gentio devido para o trabalho; (BT Sanhedrin 57A. 29)
- É permitido burlar um gentio no tribunal; (BT Baba Kamma. 30)
- Se um judeu encontrar um objeto perdido por um gentio, ele não precisa ser devolvido; (BT Baba Kamma 113b. 31)
- Quando O Messias vier, ele vai destruir os cristãos; (BT Sinédrio 99a. 32)

Não são apenas os textos antigos que desprezam os não-judeus, mas também os rabinos modernos.

- Rabbi Kook o Ancião, primeiro rabino-chefe Ashkenazi da Palestina Mandatória Britânica, disse: "A diferença entre uma alma judaica e as almas de não-judeus - todos eles em todos os níveis diferentes - é maior e mais profunda do que a diferença entre um alma humana e as almas de gado. " (33)

Israelo-rabino Yaacov Perrin disse em 1994: "Um milhão de árabes não valem uma unha judaica." (34)

-Em Seu livro 2003 superioridade judaica e a questão do exílio, o rabino Saadya Grama de Beth Medrash Govoha escreveu: "O judeu por sua origem e sua essência é totalmente bom. O goy, por sua fonte e em sua própria essência, é completamente mal. Isso não é simplesmente uma questão de distinção religiosa, mas sim de duas espécies completamente diferentes." (35)

- O líder islâmico sefardita Rabi Ovadia Yosef disse em um sermão de 2010:

Os Goyim nasceram apenas para nos servir. Sem isso, eles não têm lugar no mundo; só para servir o povo de Israel. Por que os gentios são necessários?Eles vão trabalhar, eles vão arar, eles vão colher. Vamos sentar como um effendi e comer. . . . Com gentios, será como qualquer pessoa: eles precisam morrer, mas Deus lhes dará longevidade. Por quê? Imagine que um burro morreria, eles perderiam seu dinheiro. Este é o seu servo. É por isso que ele tem uma vida longa, para trabalhar bem para este judeu.” (36)

Judaísmo talmúdico é inerentemente racista, não enraizada em valores bíblicos. O comportamento dos judeus, e não algum tipo de universal "anti-semitismo", fez com que fossem expulsos de mais de 100 países ao longo dos últimos dois milênios. Martin Luther, bem consciente das suas opiniões e atividades, os denunciou.

O judaísmo considera os não-judeus como animais. É por isso que os soldados de IDF fortemente armados de Israel abusam regularmente dos palestinos como se não fossem humanos. Um folheto, escrito pelo rabino-chefe da IDF e publicado pelo seu Comando Regional Central, adoctrinou soldados com perspectiva talmúdica ao proclamar:

Quando nossas forças se deparam com civis durante uma guerra ou em perseguição ou em uma invasão, enquanto não há certeza de que esses civis são incapazes de prejudicar nossas forças, então, de acordo com a Halakhah [lei judaica] eles podem e até mesmo deve ser Morto” (37)

violências contra palestinos

Novo rabino-chefe do IDF, Eyal Karim, tem ainda disse que os soldados da IDF pode estuprar mulheres árabes para reforçar a sua moral.

O judaísmo considera os cristãos com desprezo, e só os tolera por enquanto, porque eles representam um poderoso bloco de voto pró-Israel. O Jerusalem Postobservou em 1983:

Os sionistas reais nos EUA não são os judeus americanos, mas os evangélicos cristãos, uma vez que esses cristãos sentem que estamos chegando mais perto de um período crítico na história e eles querem que os judeus para cumprir profecias e, assim, acelerar a Segunda Vinda do Messias. Os evangélicos afetam 20 milhões de pessoas por dia na América. Eles são um grande trunfo e deve ser usado como tal. 38 [grifo nosso]

Sionismo cristão degenerado em completa idiotice

Os sionistas cristãos de hoje não apenas deixam de discernir a natureza luciferiana do judaísmo; Eles tratam os judeus e Israel com veneração na fronteira com a idolatria. Texe Marrs destaca um exemplo capturado no filme:

[F] ive ou seis jovens cristãos, dezoito a vinte anos de idade, que participavam de uma conferência nacional de jovens evangélicos, perguntaram: "Quantos de vocês gostam de Israel?" Todas as mãos dispararam para cima. "Quantos de vocês lutariam e morreriam pela nação de Israel?", Eles foram perguntados.Novamente, cada mão rapidamente subiu. "E se Israel entrou em guerra com os Estados Unidos, quantos escolheriam lutar com Israel contra seu país, os Estados Unidos?" Mais uma vez, todos (exceto um) levantaram a mão, embora não com bastante Muito entusiasmo. (40)

Uma igreja que uma vez participei convidou um "judeu messiânico" para entregar um sermão de domingo. Ele nos disse que era muito importante para nossa igreja mostrar solidariedade com a comunidade judaica. Ele anunciou que, para expressar essa solidariedade, nós fingimos que éramos uma sinagoga de hoje, e celebrar Purim (o feriado em que os judeus celebram a ser salvos de seus inimigos, e abate-los). Ele distribuiu barulhentos para a congregação. Enquanto o resto da igreja tocava, agitando ruidosamente Purim, fiquei em silêncio. Eu olhei através do corredor para outro paroquiano que sentia como eu, e abanamos a cabeça.

Na época, eu ainda não estava escolarizado na história deplorável do sionismo cristão. Mas eu sabia pelas instruções claras da Bíblia (livro de Hebreus) que nós, como cristãos, não devemos nos envolver em cerimônias judaicas. Além disso, o alegado propósito do serviço de "fingir que somos sinagogas" - mostrar solidariedade à comunidade judaica - não fazia sentido, pois nenhum judeu da sinagoga estava presente para testemunhar o evento. Em retrospecto, creio que o "judeu messiânico" estava simplesmente tentando judaizar os cristãos, e, pelo que eu sei, estava rindo silenciosamente ao ver-nos observando Purim; Pois, dadas as observações do Talmud sobre os cristãos, a igreja celebrava macabros o que era equivalente ao seu próprio funeral.

O Insulto Final: Persuadir os Cristãos a Adorarem o Anticristo

Não há nada que os Rothschilds pudessem saborear mais do que ver a igreja cristã se curvar e adorar a besta, ou Anticristo, a quem eles desejam governar seu governo mundial vindouro. Isso exige que quando o Anticristo aparece, ele inicialmente se apresenta como a Segunda Vinda de Cristo.

Quando eu era um jovem cristão, fiquei impressionado com uma distinção particular nas traduções da Bíblia. As versões mais antigas, como as Bíblias King James e Geneva, sempre diziam que Jesus retornaria no fim do "mundo" (por exemplo, Mateus 24: 3). No entanto, versões modernas (NIV, West-Horcott, Darby, etc.) diziam que Ele retornaria no final da "era". Na Scofield Reference Bible, Scofield usou a versão King James, mas sempre acrescentou notas esclarecendo que "o mundo "foi devidamente traduzido" idade ".

Isso pode parecer apenas uma nuance, mas é vital para os sionistas. Dispensacionalismo diz que a história se divide em sete "idades", e que estamos atualmente apenas no sexto. (Essas idades são construções artificiais, por uma refutação, veja este cargo por um ex-ministro dispensational.)

Ao reivindicar Jesus deve voltar no fim da idade atual, em vez de o fim do mundo, Scofield e seus colegas criaram um cenário pelo qual o Anticristo possa proclamar Cristo, então governar a Terra durante o próximo "idade", através do Muito mundo que os Illuminati construíram.

Scofield escreveu em sua Bíblia de referência: "Após o seu regresso do Rei irá restaurar a monarquia davídica em Sua própria pessoa, re-reunir dispersa Israel, estabelecer o Seu poder sobre toda a terra, e reinar mil anos." (41)

Mas poderia Lucifer realmente chegar de uma forma que persuadir os cristãos que ele era Jesus? Certamente. O apóstolo Paulo, ao descrever falsos apóstolos, escreveu: "E nenhuma maravilha; Porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz "(2 Coríntios 11:14). Ele pode parecer fazer milagres? A Bíblia diz: "Aquele cuja vinda é obra de Satanás, com todo poder e sinais, e maravilhas mentirosas" (2 Tessalonicenses 2: 9). Isso seria especialmente fácil com a alta tecnologia agora disponível, como a capacidade de projetar hologramas, que podem ser formados na imagem dos anjos tão facilmente quanto qualquer outra coisa.

Como observa Emma Moore Weston:

“Este ensinamento Scofield está preocupado com um reino judaico literal para durar por um milênio. . . . A Bíblia não ensina isso. . . Devemos nos perguntar se Jesus já se ofereceu ou se anunciou como um Rei terreno ou reivindicou o trono de Davi? Ele alguma vez havia sugerido que ele ia estabelecer um reino terreno? Ele disse a Pilatos: "O meu reino não é deste mundo, se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se lutar, para que eu não fosse entregue aos judeus, mas agora o meu reino não é daqui." (42)

Os israelitas dos dias de Jesus queria um Messias político, um rei que iria libertá-los de Roma. Jesus o rejeitou:

Quando, pois, Jesus percebeu que viriam e o tomavam pela força, para o fazer rei, voltou para a montanha sozinho. (João 6:15)

Scofield e "cristãos sionistas" rejeitam tanto o caráter de Jesus e claro ensino da Bíblia, antecipando-lo como um rei terreno. Eles repetem exatamente o mesmo erro que as pessoas fizeram em Israel há dois mil anos.

A maioria dos cristãos hoje crê que, quando morrerem, habitarão no céu com Jesus para sempre. Mas se Jesus é para decidir sobre a Terra por mil anos, enquanto eles estavam no céu, eles seriam separados de seu Salvador durante todo esse tempo. Sim, Scofieldism = confusão.

Muitas igrejas hoje afirmam, em suas declarações "o que nós acreditamos", que Jesus voltará a governar a Terra por um milênio. No entanto, apenas uma passagem em toda a Bíblia se refere a Jesus reinando mil anos: Apocalipse 20: 1-6. Acho que é perigoso para qualquer igreja basear uma doutrina central em uma única passagem das escrituras, especialmente dado o consenso geral de que o livro do Apocalipse contém uma considerável linguagem simbólica. Como este post já é muito longo, eu não vou elaborar aqui em Apocalipse 20, mas remeto o leitor o Anexo IV, "O Milênio", do meu livro Verdade é um guerreiro solitário .

O Truque do Templo

Durante vários anos, participei de uma igreja fundamentalista. Um dia, o pastor associado ensinava do livro do Antigo Testamento de Ezequiel (no qual Deus deu instruções ao profeta Ezequiel sobre a construção de um templo). O professor disse-nos que, uma vez que o templo de Ezequiel nunca foi construído, deve ser construído no futuro, e que os sacrifícios de animais judeus seria restaurada. Ele disse que depois que Jesus retornou, ele reinaria deste templo por mil anos.

Fiquei espantado com este ensinamento, porque o Novo Testamento inequivocamente declara que a Cruz de Cristo acabou com o templo e sacrifícios.Muito do livro de Hebreus é dedicado a este ponto, dizendo-nos que "Jesus tornou-se o garante de uma aliança melhor", e que "Ao contrário dos outros sumos sacerdotes, ele não precisa oferecer sacrifícios dia após dia, Pecados, e depois pelos pecados do povo. Ele sacrificou por seus pecados de uma vez por todas quando se ofereceu a si mesmo." (Hebreus 7:22, 27)

O Livro de Ezequiel, no entanto, prescreveu sacrifícios de animais:

Também uma ovelha será tirada de todo rebanho de duzentos dos pastos bem-regados de Israel. Estes serão usados ​​para as ofertas de cereais, holocaustos e ofertas de comunhão para fazer expiação pelo povo, declara o soberano Senhor.” (Ezequiel 45:15)

Jesus não exigirá que façamos tais ofertas; A Cruz os eliminou. O Livro de Ezequiel proclama ainda:

Assim diz o Senhor Deus: Nenhum estrangeiro incircunciso de coração e de carne entrará no meu santuário, nem mesmo os estrangeiros que vivem entre os israelitas.” (Ezequiel 44: 9)

Jesus excluiria os estrangeiros? A Bíblia diz que o Evangelho é para todos os povos. Ele reinstalaria o costume judaico da circuncisão física?

O apóstolo Paulo disse:

Marque minhas palavras! Eu, Paulo, vos digo que se vos deixardes circuncidar, Cristo não vos valerá nada. Novamente declaro a todo homem que se deixa circuncidar que é obrigado a obedecer toda a lei. Vocês que estão tentando ser justificados pela lei foram alienados de Cristo; Você caiu longe da graça.” (Gálatas 5: 2-4)

Como o professor de minha igreja ficou tão cego para a mensagem clara da Bíblia? Mais tarde, encontrei a resposta quando ele orgulhosamente exibiu sua Scofield Reference Bible.

Embora cristãos sionistas dizem que o templo judaico deverá ser reconstruído, Jesus profetizou apenas a sua destruição:

"Vês todos estes grandes edifícios?", Respondeu Jesus. "Nem uma pedra aqui será deixada em outra; Cada um será derrubado." (Marcos 13: 2)

Nunca Jesus ordenar reconstrução do Templo, ou o estado que Ele iria governar a partir dele. Aqui está o que Jesus disse sobre Seu retorno:

Portanto, se alguém vos disser: "Lá está ele, no deserto", não saia; Ou, "Aqui está ele, nos aposentos interiores", não acredite. Pois como o relâmpago que vem do oriente é visível no Ocidente, assim será a vinda do Filho do Homem.” (Mateus 24: 26-27)

Quem vai governar a partir de um templo em Jerusalém? O Anticristo. Jesus advertiu que o Fim dos Tempos ocorreria "quando você vir a posição no templo sagrado da abominação que causa a desolação, falada através do profeta Daniel" (Mateus 24:15). Paulo, falando do Fim dos Tempos, escreveu:

Não deixe que ninguém o engane de qualquer maneira, porque esse dia não virá até que a rebelião ocorra e o homem da iniquidade é revelado, o homem condenado à destruição. Ele se oporá e exaltar-se-á sobre tudo o que se chama Deus ou é adorado, de modo que se instala no templo de Deus, proclamando-se Deus.” (2 Ts 2: 3-4)

Assim, os sionistas cristãos ensinam o oposto da Escritura e preparar suas congregações para adorar o próprio Anticristo. E não se engane, Israel está se preparando para reconstruir o Templo, e nas despesas congregações cristãs crédulos estão sendo ordenhadas para doações, segundo algumas estimativas, até US $ 100 milhões por ano. 43

Por que o arrebatamento teve que ser ensinado

Abordo agora um assunto que pode incitar a fúria, porque é tão amplamente acreditado entre igrejas evangélicas. Darby e Scofield expôs que os cristãos não teriam de enfrentar a perseguição do Anticristo, pois o arrebatamento iria removê-los do planeta. Eles, portanto, afirmar que Jesus voltaria duas vezes: uma para o Arrebatamento, e depois novamente para a Sua Segunda Vinda. Aqui está o verso dispensacionalistas mais fortemente confiar para a doutrina do Arrebatamento:

Pois o próprio Senhor descerá do céu com um grito de comando, com o chamado do arcanjo, e com o som da trombeta de Deus. E os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; Então nós que estamos vivos, que são deixados, serão arrebatados juntamente com eles nas nuvens para encontrar o Senhor no ar; E assim estaremos sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4: 16-17)

Vou deixar Carl E. Olson elucidar:

Há três problemas com a alegação de que esta passagem se refere ao arrebatamento. Em primeiro lugar, nem ele nem todo o livro de 1 Tessalonicenses menciona Cristo voltar mais duas vezes, ou faz qualquer referência a tal distinção. Segundo, os dispensacionalistas acreditam que o arrebatamento será um evento secreto e silencioso, mas esta passagem descreve um evento muito alto e público. Isso é ainda mais problemático porque os dispensacionalistas insistem em interpretar as Escrituras "claramente" e "literalmente", permitindo o simbolismo somente quando tal é a intenção óbvia do autor. Finalmente, os dispensacionalistas ensinam que todas as outras referências do Novo Testamento a Cristo vindo nas nuvens (Mateus 24:30 e 26:64, Marcos 14:62, Apocalipse 1: 7) se referem à Sua Segunda Vinda, mas inexplicavelmente negam que esse é o caso aqui. (44)

Além disso, a Escritura ensina claramente que os crentes não serão "reunidos ao Senhor" até que o Anticristo foi revelado (desculpem a seguinte citação redundante):

Sobre a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e nosso ser reunidos a ele. “. . .Não deixe que ninguém o engane de qualquer maneira, porque esse dia não virá até que a rebelião ocorra e o homem da iniquidade é revelado, o homem condenado à destruição. Ele se oporá e exaltar-se-á sobre tudo o que se chama Deus ou é adorado, de modo que se instala no templo de Deus, proclamando-se Deus.” (2 Ts 2, 1-4)

Ao crerem que serão poupados da perseguição, os cristãos estão se preparando para a decepção e até a fé despedaçada. Fritz Springmeier relata:

Os crentes chineses na China antes da tomada de poder da China Vermelha de Mao foram informados de que seriam arrebatados antes de sofrerem qualquer tribulação. Os comunistas assumiram e torturaram e martirizaram milhões de cristãos chineses que erroneamente pensavam que a Bíblia ensinava que eles seriam raptados antes de qualquer sofrimento. A Bíblia foi amplamente desacreditada, porque tinha sido confundido. (45)

Por que os Illuminati queriam que a doutrina do Arrebatamento fosse introduzida? Ele emasculou a igreja como um adversário da Nova Ordem Mundial. Por que lutar contra algo que você não vai estar por perto para experimentar?

Conclusão

Hoje, muitos cristãos estão perplexos sobre por que suas congregações estão diminuindo. As razões, é claro, são multidimensionais, e incluem numerosos fatores externos da própria igreja, como a inculcação do darwinismo em escolas públicas, e os estereótipos dos cristãos de Hollywood tão repugnante.

Mas grande parte do problema está dentro das igrejas. Hoje, muitas verdades sobre eventos mundiais estão disponíveis gratuitamente através de meios alternativos. Recém-chegados quando informado chegar a um culto de domingo, e ver que um pastor, cujo cérebro é programado para a mídia mainstream, sabe menos sobre as verdades geopolíticas do que eles fazem, eles vão confiar que pastor para edificá-los sobre as verdades eternas? Quando ouvem um pastor elogiando Israel apesar de décadas de atrocidades, e que o pastor, assim, desculpas assassinato e roubo, incapaz de distinguir direito fundamental do errado, eles vão confiar neste pastor para conduzi-los em direção a justiça? E quando vemos que um pastor não pode compreender lições bíblicas claras, mas em vez disso ensina seu oposto, com base em regurgitação de orwelliano Escritura-torção do Scofield, eles vão querer voltar para um outro sermão?

Eu acho que não.

Dispensacionalismo doutrina sionista
Crédito da foto: David Dees, http://ddees.com/ .

Autor: JAMES PERLOFF

Artigo original: https://jamesperloff.com/2016/08/


Notas

1. John Coleman, How Conspirators Misuse fundamentalistas cristãos (white paper) (Carson City, Nev .: World in Review, 2003), 4.
2. Como citado, "CI Scofield: Scoundrel, Shyster, e Scalawag," Heresia no Coração , 13 de janeiro de 2014,
http://heresyintheheartland.blogspot.com/2014/01/ci-scofield-scoundrel-shyster-and .html
3. "Cyrus I. Schofield no Papel de um Ministro Congregacional", Topeka Daily Capital, 27 de agosto de 1881, como citado, Joseph M. Canfield, The Incredible Scofield e His Book (Vallecito, Calif. ), 99-100.
4. Canfield, 80.
5. Ibid., 83.
6. Ibid., 94.
7. John S. Torell, "Dançando ao redor do Bezerro de Ouro, Parte 5," Cruzadas Evangélicas Européias-Americanas , janeiro-março de 2007,
http://www.eaec.org/newsletters/2007/Jan-Mar/NL2007Jan-Mar2 .htm .
8. Canfield, 114.
9. Quem é quem na América (1912-1913), 1856, como citado em Canfield, 290.
10. Canfield, 290.
11. Ibid., 218.
12. Charles Trumbull, A História da Vida de CI Scofield (New York: Oxford University Press, 1920), 89-90.
13. James Whisler, "Cronologia do Dispensacionalismo",
http://poweredbychrist.homestead.com/files/history/Timeline.htm .
14. Philip Mauro, O
Evangelho do Reino (1927), http://www.preteristarchive.com/Books/1927_mauro_gospel-kingdom.html .
15. Thomas Williamson, "Sionismo Versos da Bíblia",
http://www.jesus-is-savior.com/False%20Doctrines/Zionism/zionism.htm .
16. CI Scofield, ed., The Scofield Reference Bible (Nova York: Oxford University Press, 1917), 25.
17. Ibid., 20.
18. Ibid., 25.
19. Ibid., 250.
20. "A catástrofe, Al Nakba: Como a Palestina se tornou Israel " , Se os americanos soubessem (abril de 2013),
http://www.ifamericansknew.org/history/ref-nakba.html .
21. Bob Finley, "Por que a ajuda cristã está falando sobre o sionismo e o islamismo ", Christian News , 5 de maio de 2003, p .
22. Michael Hoffman, "Jesus eo Talmud", The Hoffman Wire (2003),
http://www.revisionisthistory.org/wire1.html .
23. Michael Hoffman, Os Deuses Estranhos de Judaísmo (Coeur d'Alene, Idaho: História e Pesquisa Independentes, 2011), p.
24. Ibid., 184.
25. Ibid., 196.
26. Ibid., 182.
27. Ibid., 185.
28. Hoffman, "Jesus eo Talmud."
29. Hoffman, Os Deuses estranhos do Judaísmo , p. 182.
30. Ibid., 185.
31. Ibid.
32. Ibid., 239.
33. Ibid., 189-90.
34. Clyde Haberman, "Massacre na
Cisjordânia ", New York Times , 28 de fevereiro de 1994, http://www.nytimes.com/1994/02/28/world/west-bank-massacre-israel-orders-tough -medidas-contra-militante-settlers.html? Pagewanted = all .
35. Hoffman, Os Deuses Estranhos do Judaísmo , 188.
36. Marcy Oster, "Líder sefardita Yosef: Não existem judeus para servir judeus", Agência Telegráfica Judaica , 18 de outubro de 2010,
http://www.jta.org/2010/10/18/news-opinion/israel- Oriente Médio / Sephardi-líder-yosef-não-judeus-exist-to-servir-judeus .
37. Israel Shahak, História Judaica, Religião Judaica: O Peso de Três Mil Anos(Londres: Pluto Press, 1994), 76.
38. Jerusalem Post , 6 de março de 1983, citado em Coleman, How Conspirators Misuse Christian Fundamentalists , 7.
39. Jack Bernstein, A vida de um judeu americano no racista Marxista Israel (1985) (edição online),
http://www.biblebelievers.org.au/israel.htm .
40. Texes Marrs, DNA Science e Bloodline judaica (Austin, Texas: RiverCrest Publishing, 2015), 165-66.
41. Scofield, 1227.
42. Emma Moore Weston, "Origem das heresias de Scofield", Analisando Scofield ,
http://www.gospeltruth.net/scofield.htm .
43. Stephen Sizer, "Será que o Templo Judaico Será Reconstruído?" (27 de
fevereiro de 2014), http://stephensizer.com/2014/02/will-the-jewish-temple-be-rebuilt/#more-4966 .
44. Carl E. Olson, "Cinco mitos sobre o
arrebatamento ", novembro de 2003, http://web.archive.org/web/20041217140003/http:/www.originaldissent.com/forums/archive/index.php/t -11538.html .
45. Fritz Springmeier, "The Armageddon Plot",
http://www.theforbiddenknowledge.com/hardtruth/armageddon_plot.htm .

 


Postagens Relacionadas:

Cristãos Evangélicos Sionistas e o seus ideais anticristãos

Doutrinas, Religiões e Seitas Cristãs servis á uma Nova Ordem Mundial

Cristãos evangélicos, Extrema Direita, Maçonaria e o Golpe no Brasil de 2016

A usurpação da Palestina pelos judeus Sionistas da Nova Ordem Mundial

Boicote a Israel, porque todo homem de bem e cristão devem apoiar ?

  • Lia Gomes

    Excelente artigo. Realmente, dá pra perceber muito bem no Brasil essa coisa de muitas igrejas evangelicas estarem sendo usadas como meio para um retorno ao judaísmo, basta pensar em nomes como TEMPLO DE SALOMÃO, FOGUEIRA SANTA DE ISRAEL, etc…é como se elas dessem mais valor pro antigo testamento do que pro novo! Com certeza isso faz parte de um projeto maior, financiado por dinheiro zionista. Temos que tomar cuidado, se não daqui a pouco vão querer fazer a lavagem cerebral pras mães fazerem a circuncisão em seus filhos tbém!
    Pois é, apesar desse artigo ter sido escrito pensando nos EUA, acho q ele está cada vez mais refletindo a situação do Brasil também! Temos que mudar o rumo desse Titanic.